Mercado de trabalho é aquecido pelas comemorações de fim de ano

Mercado de trabalho é aquecido pelas comemorações de fim de ano

A proximidade do Natal e Réveillon nos lembra que este ano está terminando e, é preciso pensar nos planejamentos para 2018. No entanto, ao mesmo tempo em que a maioria da população já dá este ano como acabado no âmbito das realizações, uma outra parcela de pessoas ainda enxerga oportunidades para o começo de uma nova carreira profissional. Dados da Fenaserhtt e do Sindeprestem, entidades sindicais de trabalho temporário e terceirização no Brasil, preveem que 111 mil trabalhadores devem ser contratados temporariamente até o fim de 2017, representando um aumento de 9,9% em relação ao ano passado.

No Brasil, o levantamento das entidades também expõe que o setor de serviços deve oferecer 50 mil vagas temporárias, assim o comércio deve gerar 33 mil postos, e a indústria, 28 mil. Ao final do contrato, 19 mil trabalhadores temporários (17,1% do total) deverão ser efetivados.

Em pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), foi constatado que 27,1% dos empresários pretende contratar funcionários para reforçar as equipes de venda. O levantamento também mostra que o setor de comércio de calçados e acessórios é o que deve abrir mais postos de trabalho, sendo que 78,6% das oportunidades são para vendedores. Segundo a CDL/BH, as lojas de calçados e acessórios serão responsáveis por 52,5% do total de contratações.

Com estes dados, surgem as seguintes questões: Existem chances de se conseguir uma vaga no mercado ainda este ano? Vale a pena correr atrás de vagas temporárias? É possível ser efetivado em um emprego temporário? A resposta para todas estas perguntas é sim, conforme ressalta a diretora da empresa Leaders HR Consultants, Astrid Vieira.

Astrid explica que em um cenário de 191 mil pessoas desempregadas em Belo Horizonte, as vagas temporárias se tornaram atalhos para o mercado de trabalho. “O mês de dezembro é o de maior intensidade na criação de vagas temporárias, devido ao aquecimento econômico causado pelas festas de fim de ano e pelo pagamento do 13º salário. O emprego temporário não deve ser encarado como apenas uma oportunidade momentânea, pois após dois anos de declínio, as contratações devem voltar a crescer neste ano em decorrência de mudanças na legislação trabalhista”, diz

Ao observar que o fim do ano pode ser o melhor momento para agir e identificar uma oportunidade ou alternativa para o abandono do desemprego, Astrid Vieira fornece algumas dicas para conseguir uma vaga temporária e a longo prazo, a efetivação de emprego mais sólido. Ela explica que o primeiro passo é a escolha de uma vaga que esteja de acordo com o seu perfil profissional. “É preciso ter foco na conquista de uma vaga de emprego, ainda que temporária. O candidato deve ter o autoconhecimento necessário para saber quais são suas habilidades, competências e diferenciais”.

Astrid aponta que durante a procura por vagas efetivas, o ideal também é mapear colocações, principalmente, depois do carnaval, quando o mercado aquece um pouco mais. Após o mapeamento, o candidato deve elaborar um currículo atualizado, consistente e objetivo. “Ao conseguir a vaga temporária, se mostre alinhado aos propósitos e regras estabelecidas pela empresa e invista no networking, pois mesmo que a empresa não tenha vagas ao final do contrato, os contatos farão com que o candidato seja lembrado”, aconselha.

Fonte: Portal Nacional de Seguros